PULAR PUBLICIDADE

Resenha Simon vs a Agenda Homo Sapiens

9-5-2018



Capa do livro. Imagem: Reprodução/ Editora Intrínseca


Vocês viram que no cinema recentemente entrou em cartaz um filme chamado “Com amor, Simon” (Love, Simon no original)? Ele é baseado num livro super bonitinho escrito por Beck Albertalli. Tive a oportunidade de ler antes que saísse o filme, agora estou ansiosa para ir ao cinema ver.

Simon é um garoto normal, que está no Ensino Médio em uma escola nos EUA. Mas como todo garoto da sua idade, ele tem um segredo. Simon é gay. E não quer que ninguém saiba. Não por ter vergonha ou medo. Mas por não querer se explicar. Ele acha bastante injusto que apenas os gays tenham que sair do armário e acredita que “revelar-se” deveria ser um rito de passagem de todo adolescente.

Ele começou a conversar por email com um garoto de sua escola, que usa o apelido de Blue. Ele não sabe quem é Blue e nem Blue sabe quem é Simon. Pode ser qualquer um.

Um dia Simon comete o erro de deixar seu email secreto logado no computador da escola, e um garoto resolve chantageá-lo: o seu segredo em troca de ajudá-lo a ficar com uma de suas amigas.

O livro tem uma narrativa bem leve e lida com naturalidade frente a um tema importante. Ele aborda preconceitos e a diversidade. Ele questiona o fato de o “normal” ser branco, ser hétero e cristão. No livro tem personagens de várias etnias e religiões e trata a diversidade com uma naturalidade incrível.

É uma narrativa curta, de se ler num dia só (peguei um feriado e mandei ver). A autora é psicóloga e percebemos na sua escrita o viés da psicologia adolescente. A forma como ela aborda alguns assuntos me fez lembrar da minha época de escola e de como eu transformava um problema pequenininho em um bicho de sete cabeças. Me fez lembrar também como os adolescentes sabem ser cruéis quando querem.

E esse viés que ela dá à narrativa é muito interessante. Ela mostra o bullying sendo punido, mostra pais aceitando, mostra o processo de revelar-se: Não apenas gay, mas o primeiro beijo, o primeiro amor… Situações que constrangem os adolescentes ao contar para os pais. E que muitas vezes esse temor pode ser resolvido na base de um bom diálogo, que costuma ser a peça faltante no quebra-cabeças familiar.

É uma ótima leitura para adolescentes e também para adultos que gostem de uma história de amor super fofinha e cheia de conteúdo e reflexões por trás!

Me acompanhe pelas redes sociais!
Instagram (@checkinvirtual)
Facebook
Twitter
Pinterest
Skoob
Youtube
ESCRITO POR:
Livia Santana
   Newsletter
   Contato
   Mais visualizados do mês