Me apaixonei por um GRINGO e agora?

 26-6-2018   Tania Madureira - Variedades   Artigo

Encontrar um amor é o sonho de muita gente. Alguém para dividir seus objetivos, crescer junto com você e construir uma família. A gente sabe que uma das maiores reclamações hoje é de que a vida de solteiro está bem difícil, que ninguém quer compromisso sério. Que as mulheres isso e os homens aquilo. Eu sei bem!

E ai quando você arruma alguém, nossa! Se desdobra para fazer o relacionamento dar certo, certo? Bem, se na mesma cidade já é difícil, imagina em outra, e em outro país então? Mas muita gente não pensa assim.

Ouço amigas falando que também precisam arrumar um gringo, pois no Brasil não dá mais. Por isso resolvi escrever um pouquinho do que é estar com alguém que além de outra personalidade, tem uma cultura totalmente diferente de você.

A primeira coisa que precisamos ter em mente que quando a gente namora ou se casa com um estrangeiro, além da bagagem pessoal dele que a gente agrega à nossa própria, é preciso muita paciência e sabedoria para compreender que só com o tempo as coisas vão se ajustar para o bem comum.
Namorei o Geoff por quase um ano até decidir mudar para cá. Vim algumas vezes, e ele já havia conhecido um pouquinho do Brasil. Moramos 6 meses juntos até nos casar. Ele conheceu minha família uma vez só antes do casamento em uma viagem ao Brasil. Foi um encontro rápido mas todos se apaixonaram por ele. Ele é fofo mesmo hehe, mas ninguém é fofo todos os dias... e a rotina de um relacionamento existe para todos. E até hoje, 2 anos depois, estamos nos conhecemos e ajustando essas diferenças de cultura.

E com uma outra língua no meio de tudo isso, acho que fica ainda mais desafiador.

No Brasil é "chique" casar com um gringo. Dá status. Muita acha que americano por exemplo ganha muito mais que um brasileiro. Porque a tendencia é fazer a correção para o real. Mas o salário aqui é muita vezes o mesmo em valor de número que Brasil. A única coisa é que aqui o dinheiro rende mais. No nosso país pagasse mais pelos serviços e produtos. Mas, por mais que seja um salário correto para os EUA, uma renda familiar muitas vezes não te permite pagar empregada, manicure e cabeleireiro toda semana.

Então tem umas coisinhas bem legais de saber se você quer ter um gringo em sua vida.

1. Você vai aprender a lidar com uma família totalmente diferente e que também te vê de uma forma diferente. Por mais que eles te amem e você à eles, eles te enxergarão como uma estrangeira e consequentemente uma pessoa com costumes diferentes dos deles.
2.  A empolgação pela oportunidade de falar outra língua em tempo integral acredite, depois de um tempo será substituída pelo desejo iminente de poder falar sua língua nativa.
3.  As vezes você vai tentar explicar uma coisa que a pessoa não vai entender, ou você vai achar que faltam palavras para expressar exatamente o que sente. Eh terrível! Se estiverem discutindo então, é desesperador!
4.  Você vai misturar as línguas ou esquecer palavras do português.
5.  E quando estiver brava vai
acabar xingando em português mesmo porque nenhuma outra língua transmite sua indignação com tamanha precisão.
6.  Se o companheiro tiver interesse em aprender português vai ser difícil mantê-lo motivado depois que for apresentado às conjugações dos verbos. No meu caso o Geoff é bem esforçado mas depois de um longo diálogo de 5 minutos ele já está pronto para voltar falar inglês.
7.  Ah! E sua habilidade em falar português fluentemente será colocada à prova quando ele pedir para você explicar alguma norma gramatical sobre a qual você nunca pensou a respeito ou traduzir a música “é pau é pedra é o fim do caminho”. }
8.  Vocês vão acabar rindo muito. Eu me divirto com ele tentando falar português e todo mundo vai dar risada. E quando eles tentam sambar então? Haha
9.  Preparem-se para de vez em quando olharem estranho para você, especialmente se se conheceram online. Como qualquer imigrante, uma relação com gringos também pode ser vista como de interesse – até mesmo porque aqui rola o mercado negro de casamento de fachada. De qualquer forma, o único julgamento que interessa é o seu. Ah, e o da imigração!
10.  Ao visitar o Brasil, metade da sua estadia será gasta traduzindo tudo que familiares te pedem pra perguntar.
11.  A outra metade vai ser traduzindo cardápios.
12.  O resto do tempo será tentando desviar a atenção para tanto atendimento ruim e a internet tão fraca.
13.  Ou como funciona o processo burocrático para tantos serviços, e porque a gente paga água no restaurante ou não tem refil.
14.  Você vai achar graça nas interações com a família: pessoas que berram, achando que o ele possa entendê-la. O amigo empolgadíssimo com a oportunidade de testar se o curso de inglês tá valendo a pena.
15.  O grau de afinidade do seu parceiro com seus amigos e familiares dependerá… do nível de inglês dos deles.
Exceção à regra: minha mãe que não fala fluente mas os dois se dão super bem e se entendem do jeito deles. E o Geoff chama ela de mãe (mai) ele não consegue pronunciar o ~ .
16.  Incentive seu parceiro levar consigo pro Brasil algum passa tempo (tipo um livro, seu computador, ou trabalho para fazer). Isso te dará um break na exaustiva vida de intérprete e te permitirá colocar em dia com as notícias dos amigos e família. (Ter alguém para leva-lo para passear em algum lugar sem você precisar ir também é bem legal).
17.  Você também terá que responder perguntas de coisas sobre as quais nunca pensou antes. Eles querem saber o porquê e a história de tudo.
18.  Sim, em geral os gringos não são tão ciumentos e tendem a levar o lance de fidelidade mais a sério do que brasileiros.
19.  Ponto positivo: em geral, eles são bem mais despachados nas lidas do lar do que os latinos.
20.  Ponto negativo: podem parecer desapegados.
21.  A generalização de que todo gringo é frio, rico, ou não demonstra afeto é tão verdadeira quanto a de que o Rio de Janeiro é a capital do Brasil. Então é preciso saber que não é porque você vai casar com um gringo que vai levar uma vida de princesa. Eles trabalham muito, fazem o serviço de casa, e na maioria das vezes você vai colocar a mão em serviço de casa que você nem sonhava fazer no Brasil. A mão de obra aqui é muito cara. E por falar em mão, manicure, salão e massagem podem ter feito parte da vida no Brasil, e vai ser muito difícil manter esse costume.
22.  Para mim a maior desvantagem de todas. Você verá muito pouco a sua família e que não vai estar presente em várias acontecimentos importantes (bons e ruins).
23.  Sobre falar mal do Brasil: você pode. Ele não. E acreditem, nós brasileiros que falamos mal do Brasil. Eles amam!
24.  Se ele te te faz a pessoa mais feliz do mundo... todo o sacrifício valerá a pena.


confira as fotos abaixo:

Escrito por:
Tania Madureira - Variedades
Veja também...
Siga nossas Redes
Publicidade